Vereadores alertam Governo do Estado sobre situação de ponte na MT 480

Marcos Figueiró / Assessoria de Imprensa 15/02/2019 Política

Parte da cabeceira da ponte cedeu às enxurradas do período chuvoso. A situação preocupa motoristas que utilizam a rodovia diariamente

Política

Ronaldo Quintão (PP) e Melquezedeque Ferreira Soares, Zedeca (MDB) atenderam pedidos de motoristas e visitaram nesta quinta-feira, dia 14, a ponte sobre o Rio Sepotuba entre Tangará da Serra e Deciolândia, na MT 480. As reclamações eram de que a ponte apresenta sérios problemas, o que de fato foi constatado pelos vereadores tangaraenses.


“Encaminhamos um pedido ao deputado estadual Doutor João solicitando que a situação seja informada o quanto antes ao Governo do Estado com o objetivo de que a Secretaria de Infraestrutura tome providências para evitar que um acidente ocorra no futuro”, contou o presidente da Câmara Municipal, vereador Ronaldo Quintão.


Segundo o registro feito pelos vereadores, parte da cabeceira da ponte cedeu às enxurradas do período chuvoso. A situação preocupa motoristas que utilizam a rodovia diariamente. A preocupação é de que o problema se agrave caso não seja resolvido logo, uma vez que a cada nova chuva a estrutura da ponte fica mais comprometida.


"Pelo menos uma intervenção mínima, urgente, nesse caso e, também, estamos pedindo que o Governo de Mato Grosso determine a vistoria de todas as pontes da região. Entendemos que é preciso que uma equipe de engenharia vá aos locais e faça uma avaliação minuciosa. O correto seria no mínimo uma vistoria por ano para mapear os defeitos e apontar quais são as intervenções necessárias", alerta Quintão.


MUNICÍPIO – Quintão e Zedeca também vão encaminhar a situação da ponte sobre o Rio Sepotuba, na MT 480, ao secretário municipal de Infraestrutura José Bernardino. Eles dizem reconhecer que a ponte está numa rodovia estadual, mas alertam que o Município não pode esperar para agir diante de uma situação que oferece risco aos seus moradores. “Confiamos que o Estado dará ao caso a devida atenção, mas não sabemos em quanto tempo, então pedimos que a Prefeitura resolva”, explica o vereador Zedeca.



Notícias da editoria